Checklist em dia!

Checklist em dia!

Free Digital Photos by Jeroen van Oostrom
Conheça quais os procedimentos e responsabilidades para a desocupação do imóvel.
A desocupação do imóvel é um dos momentos mais delicados do contrato de aluguel, especialmente no segmento residencial. As imobiliárias exigem que os inquilinosentreguem o imóvel no mesmo estado em que ele foi alugado. Entretanto, muitos têm dúvidas sobre os seus deveres na desocupação do imóvel.Apresentamos uma breve relação dessas atribuições:
  • Comunicação: normalmente, exige-se que o inquilino comunique a desocupação do imóvel à imobiliária com 30 dias de antecedência da data prevista para mudança. Esse prazo é necessário para agendamento da vistoria de saída, a fim de que sejam verificados se os itens atuais são compatíveis com a relação e o estado identificados na vistoria de entrada. A comunicação prévia também é importante para o proprietário programar as suas finanças.
  • Comprovação pagamento: o inquilino deve apresentar à imobiliária os documentos com o consumo final de água e luz, bem como uma carta de quitação do condomínio (quando este existir).
  • Interrupção dos serviços: quando da desocupação do imóvel, cabe ao inquilino solicitar aos órgãos competentes a interrupção dos serviços de luz, água, telefone, internet, tevê a cabo, entre outros. Caso contrário, as despesas vão continuar a correr sob sua responsabilidade. O imóvel ainda deve ser entregue sem os equipamentos ou produtos que são pagos em mensalidade, como aparelhos de tevê a cabo e filtro de água, pois, o inquilino não poderá ter acesso ao local após a entrega das chaves.
  • Conservação: o inquilino é responsável pela conservação do imóvel e, muitas vezes, pela pintura nova das paredes com tinta da mesma cor e qualidade da original, tapando furos de pregos ou parafusos, exatamente do modo como recebeu. O mesmo vale para o piso. Se o inquilino recebeu o imóvel com piso novo e na desocupação ele estiver cheio de riscos ou manchado, deverá pagar por estes custos. Itens como maçanetas, torneiras e interruptores também devem estar em dia. Entretanto, não cabe cobrar do inquilino a reposição de peças e equipamentos que sofreram desgaste natural do tempo.
  • Benfeitorias: a recomendação é de que, antes de realizar a benfeitoria no imóvel, o inquilino peça autorização para a imobiliária ou para o proprietário. Isso porque, quando da desocupação do imóvel, o proprietário poderá solicitar que estas sejam desfeitas como, por exemplo, colocar o piso original em vez do atual.